Edson Souza /  JOÃO CARLOS BORda

 

CONVITE DO AUTOR

Arco de Fogo

Editora Novo Conceito lança romance policial baseado em fatos reais vividos por equipe da Polícia Federal, durante uma das maiores missões de combate ao desmatamento ilegal na Amazônia de todos os tempos.

 

“Vidas de homens e de árvores se confundem.

Ativistas estão morrendo, a Amazônia também.

A sociedade é conivente com ambos os crimes.

Hoje é uma questão de prioridade.

Amanhã, talvez, de harmonia.

Boa sorte.

Assinado Marcelo Torres, Delegado de Polícia Federal.”

Assim termina o relatório de boas-vindas deixado pelo delegado da Polícia Federal, Marcelo Torres, para seu substituto, que acaba de chegar a Santarém, no Pará, com a função de assumir o comando de uma das bases da operação Arco de Fogo. Trata-se de uma força-tarefa coordenada pela Polícia Federal, com o apoio do Ibama e da Força Nacional, na luta pela preservação da Amazônia.

Do outro lado, madeireiros que desmatam impunemente áreas preservadas e usam como argumento o fato de terem construído e desenvolvido as pequenas cidades e de necessitarem da extração da madeira para sustento de suas famílias.

Com um enredo envolvente e uma linguagem dinâmica e quase cinematográfica, o romance do policial federal Edson Geraldo de Souzae do jornalista João Carlos Borda é de ficção, embora baseado em fatos e documentos reais.

A história contada relata a rotina vivida por um dos autores durante a missão de comandar, de 23 de julho e 17 de setembro de 2010, a base em Santarém da operação Arco de Fogo, uma das regiões de maior índice de desmatamento da Amazônia e de maior atuação de madeireiros clandestinos.

O tema, que poderia ser apenas um cenário para uma história policial, ganha ainda mais corpo quando esbarra com a realidade nua e crua de um assunto em voga nos dias atuais, em que leis ambientais são reformuladas, investimentos são cortados e o papel e a eficiência dos órgãos de defesa do meio ambiente são postos em xeque.

 

Ao longo das 304 páginas – recheadas de fotos, que ajudam na ambientação dos fatos -, o leitor acompanha de perto, com emoção, ação, suspense e uma boa dose de humor, o dia a dia da equipe do delegado Henrique nas investigações, apreensões e até emboscadas desta que foi uma das maiores operações de todos os tempos de fiscalização e inibição das irregularidades que assolam a Floresta Amazônica desde sempre.

É perceptível uma força obscura interessada em manter a impunidade.

A mensagem é clara, mas o inimigo invisível.”

 

Informativo e esclarecedor, o livro trata o tema com um misto de leveza e contundência e vai além da função de entreter, permitindo reflexão e conscientização dos leitores e plantando uma semente para que um dia possamos colher um outro final para a nossa história da vida real.

 Edson Souza / JOÃO CARLOS BORda

Sobre os autores:

 

EDSON GERALDO DE SOUZA

Ribeirãopretano, ingressou na Polícia Federal em 2006.

Coordenou a Operação Cassino, deflagrada em março de 2010 em Ribeirão Preto, tendo sido designado para coordenar a Base Santarém da Operação Arco de Fogo por 57 dias desse mesmo ano.

Apaixonado por viagens de carro e pela natureza, apaixonou-se também pela Amazônia durante a operação, adotando desde então uma linha de convicção em defesa da preservação do patrimônio ambiental e consciência ecológica.

Atualmente, permanece designado como chefe de uma das unidades descentralizadas da Polícia Federal no estado de São Paulo.

 

JOÃO CARLOS BORDA

Jornalista, gaúcho de Uruguaiana, repórter especial da EPTV/Globo, realiza reportagens para os jornais regionais, Bom Dia Brasil, Jornal Hoje, Jornal Nacional e Fantástico.

Denunciou em reportagens nacionais as queimadas da cana em São Paulo e a mortandade de peixes em rios poluídos. Foi vencedor de prêmio nacional com matéria sobre o risco dos agrotóxicos para as abelhas. Realizou uma série especial sobre a situação do Rio São Francisco, da nascente à foz, e denunciou os impactos da falta de preservação dos sítios arqueológicos para a história dos povos da Bahia e da Amazônia.